Capacitação dos cobradores: o que diz o acordo. Saiba mais

Notícias do Sindimoc

Motoristas e cobradores de Araucária acampam ao lado de terminal e ameaçam paralisar frota da empresa

Motoristas e cobradores de Araucária acampam ao lado de terminal e ameaçam paralisar frota da empresa

Após serem despedidos sem aviso prévio, com férias vencidas e sem qualquer acerto de FGTS ou direito a seguro desemprego, motoristas e cobradores da empresa Araucária realizaram protesto nessa segunda-feira (27) em frente à empresa. A partir de hoje, os trabalhadores montam acampamento ao lado do terminal de ônibus da cidade de Araucária, que deverá ser mantido até o dia 4 de maio, data marcada para realização de audiência de conciliação na 1ª Vara do Trabalho da cidade. Segundo os trabalhadores, se o pagamento das verbas indenizatórias não ocorrer, paralisações no transporte coletivo da cidade podem acontecer.
 
Em janeiro, a empresa já havia alegado à Urbs não ter caixa para pagar funcionários, combustível e outras despesas essenciais ao desenvolvimento de sua atividade econômica. A Prefeitura de Araucária, responsável pelo transporte público da cidade, ainda não se manifestou sobre a manutenção da concessão que outorga o direito à empresa de usufruir do transporte público da cidade perante declaração de capacidade econômico-financeira. A empresa continua a atrasar os vales salariais periodicamente, um dos principais motivos pelas greves que aconteceram este ano.
 
Recentemente, com funcionários do setor de escritório e manutenção que a empresa também despediu sem aviso prévio e qualquer tipo de acerto previsto nas leis trabalhistas, a empresa realizou acordo em que se propunha a pagar parceladamente as verbas indenizatórias, no entanto, no segundo mês os pagamentos voltaram a não ocorrer.
 
“Trabalhei durante 19 anos na empresa. Não é uma questão de conciliação, a empresa deveria ter cumprido a lei e pelo menos ter nos avisado da despensa com 30 dias de antecedência. Agora precisamos no mínimo do FGTS, para ter como comer e pagar o aluguel que já venceu há muito tempo”, conta o motorista Arnoldo Ferreira dos Santos.
 
O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, Anderson Teixeira, afirma que a Prefeitura de Araucária deve se posicionar sobre o impasse. “Nós temos uma empresa que diariamente recebe dinheiro à vista dos usuários do transporte coletivo, mas não paga em dia os seus trabalhadores. Se ela declara que não tem capacidade financeira para atuar, é responsabilidade do Prefeito garantir que a empresa que atua no transporte coletivo da cidade cumpra com suas obrigações trabalhistas”, explica Teixeira.
 
Confira as fotos do acampamento aqui.

Fotos dessa notícia

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

Vídeos dessa notícia

Comente esta notícia

código captcha